Por LEILA GUSMÃO

Todos nós já experimentamos momentos em que nosso corpo foi submetido à fraqueza, exaustão, cansaço e fadiga. Seja vindo de uma gripe, de um período intenso de provas, trabalho, viagens, atividades emocionalmente extenuantes ou de doenças. Muitas vezes, quando passamos por estes momentos, tudo que queremos e precisamos é de um alimento nutritivo, capaz de restaurar nosso corpo e gerar aquela memória afetiva da canja que nossas mães e avós faziam para nos curar de uma gripe forte. O Kichari – ou Kichadi ou Kitchari – funciona como essa “canja de galinha”, no sentido de nos ajudar a nutrir e restabelecer nosso corpo.

Contendo feijão Moyashi e Arroz basmati como principais elementos, o Kichari é um preparo muito usado no Ayurveda para preparar pacientes pro Panchakarma (tratamento forte de desintoxicação) por ser um prato nutritivo e de fácil digestão. Ele também é uma das melhores alternativas para uma desintoxicação de monodieta, para mudanças sazonais adversas, para recuperação de gripes e processos de convalescença ou para voltarmos de um jejum longo.

Na realidade, Kichari é o termo utilizado para definir mistura, geralmente de dois grãos. Os grãos de arroz basmati podem ser substituídos também por arroz branco. Geralmente não se usa o arroz integral por suas fibras dificultarem a digestão, que pode estar comprometida nestes períodos. Quanto ao feijão moyashi, ele também pode ser substituído por um outro feijão de fácil digestão, como a ervilha partida ou lentilha rosa.

Ingredientes:
1 xícara de arroz basmati ou branco
1/2 xícara de feijão moyache ou lentilha rosa ou ervilhas partidas
2 colheres de sopa de ghee
6 xícaras de água
Sal rosa a gosto (quanto menos sal usar, melhor)
2 xícaras de legumes picados (opcional): moranga cabutiá, alho poró, aipo, cenoura, batata doce, inhame

Especiarias:
1 colher de chá de semente de mostarda preta
1 colher de chá de semente de cominho em pó
1 colher de chá de semente de coentro em pó
2 pitadas de assafétida
½ colher de chá de cúrcuma (açafrão da terra)
Lave o arroz e o feijão moyachi e deixe de molho durante a noite. No outro dia, escorra a água.

Em uma panela média aqueça o ghee. Adicione as especiarias e refogue por 1 a 2 minutos. Adicione o arroz e o feijão moyache, refogue por mais alguns minutos. Em seguida, adicione 6 xícaras de água e deixe ferver. Uma vez que o kichari chegou a ferver reduza o fogo para médio a baixo. Cubra e cozinhe até que esteja macio (cerca de 30-45 minutos). Adicione os legumes picados mais no final, pois eles cozinham mais rápido. Adicione mais água , se necessário. Normalmente o kichari tem uma consistência ensopada. Por fim adicione sal a gosto (opcional) e decore com cheiro verde.

Para Vata ou Kapha: adicione uma pitada de gengibre em pó ou uma fatia fina de gengibre fresco.
Para Pitta : deixar de fora as sementes de mostarda.
O Kichari consumido como monodieta pode conduzir a obstipação se consumido exclusivamente durante vários dias, por ser pobre em fibras. Para garantir a eliminação adequada, pode revelar-se útil se tomado uma vez por dia longe das refeições, casca de psyllium ou sementes com água ou farelo de aveia ou suco de ameixa.
Se o objetivo for apenas uma desintoxicação leve e a digestão estiver boa, o arroz integral pode ser substituído pelo arroz Basmati.
O arroz Basmati é mais nutritivo que o arroz branco, dê preferência à ele.
Chás para cada constituição, caso haja necessidade e em pequena quantidade:Chá Vata – partes iguais de gengibre, cominho e coentro.
Chá Pitta – partes iguais de cominho, coentro e erva-doce.
Chá Kapha – partes iguais de gengibre em pó, canela, e uma pitada de cravo.
Variando especiarias e legumes você sempre pode fazer um prato diferente a partir da receita básica. Utilize sempre vegetais da estação.
Kichari é um alimento equilibrado para Vata, Pitta e Kapha. Sobretudo o dosha Vata, que possui digestão irregular e baixa absorção nutricional.

Pin It on Pinterest

Share This